Se a vida fosse um filme, eu só queria ver você.

Tem dias que eu só guardo minhas palavras pra mim, mas as vezes elas escorrem pelo papel e encontraram seus destinos como o traço firme daquele pincel. E, olha…eu nem sei pintar, mas acho bonito com meia palavra escrita num bloquinho de papel acha uma maneira para te encontrar.

Até as cartas sem endereço que guardei na minha gaveta encontraram seu lar, me perdoa as palavras grosseiras, mas tudo que disse naquelas linhas foi escrito sem pesar. Meio ponto e pula linha, ao final escrevi com amor e assinei meu nome. Assim como o destinatário que naquela noite me respondeu naquele guardanapo sujo de bar, nas manchas batom e nos beijos que trocamos enquanto encostávamos os calcanhares.

Quando as palavras substitutas por sussurros e os abraços que eram casa. Uma casinha gostosa daquelas de muro baixo e rua vaza durante a semana, agitada de crianças no final de semana que correm com suas bolas bicicletas, caem, choram e ralam os joelhos no asfalto num mundo que não é pandêmico. Onde a vida é um filme e escolhi a você, não a mim mesma que jamais esteve esperando, mas que vez ou outra se pega pensando que se a vida fosse um filme talvez alguém tenha piedade de nós.

22 | Estudante de Jornalismo & Booktuber http://escritoselivros.com

22 | Estudante de Jornalismo & Booktuber http://escritoselivros.com